No meio do nada

12 09 2007

“Procuramos alguma coisa que já nos encontrou”
Jim Morrison

Outra historiazinha. Começara o dia bem cedo naquela tarde. Os olhos não mais combinavam com a cor do sutiã. Tanto faz. Ninguém mais se importa com a rosa do guia-anão. À guisa de se tornar mártir, juntou as folhas de sua calçada e com elas fez fogo. Da fumaça fez um bolo. Subiu aos céus, ressucitou no terceiro dia, fez da Terra o alívio de uma dor sem natureza. Comprou o amor dos passáros por míseros dois centavos, enquanto a lebre da sua irmã jazia morta numa casa abandonada. Proxeneta de aves! Vadia de um dente só! O povo clama e ama. Nasceu morta de uma labareda única. Viveu seu tempo com um arranque. Fez da glória uma senhora, fez de sua fada uma cadela sem jóia. Foi omissa, foi à missa, fez sexo embaixo da ponte, fez amor como se ama a própria fronte. Por fim sumiu, saiu, desfez, morreu sem deixar vida, jaz em paz num túmulo distante, próprio daqueles que nunca foram amantes…

Anúncios