Poesia conjunta

4 12 2007

Dentro das estruturas moleculares
Do diamante negro do motorista do ônibus
Surge, ao longe e alhures
O som de um avestruz

A energia tétrica de meu tórax
Converte-se em luz calma
Do meu já esquecido clímax

Não às escadas que não sabem ser leves
Não ao cadafalso da viagem eterna
Não à bactéria vencida pelo antibiótico vencido
Porque fraco é aquilo que se despe e hiberna

Ainda há argumentos contra o vento
Só falta tempo
Pra contar pro ar que acabou o fermento!

Anúncios

Ações

Information

2 responses

5 12 2007
Solitude

A bateria do meu coração está precisando de um antibiótico extramolecular á base de carinho e compreensão…

6 12 2007
Mavi

Os fungos de minha´alma tem a plena convicção de que sabem fazer esse remédio…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: