Egoísmo

7 02 2008

Segunda e terça-feira foram dias agitados para a maioria dos brasileiros, para outros poucos, o carnaval não passa de uma data fedida a mais para entrecortar os dias de trabalho e os fins de semana. Para uma mulher do Mato Grosso do Sul (diga-se de passagem, o estado brasileiro com mais procura por surrealismo) o carnaval pareceu perfeito até que descobriram que ela deixava a filha de 4 anos presa no carro para que seu samba não sofresse interrupções inoportunas. Os policiais arrombaram o carro e salvaram a criança. A mãe alegou ter saído por apenas dez minutos, com vidro do carro entreaberto, pois a criança dormira. Os moradores da região é que são uns enxeridos, meteram o bedelho onde não foram chamados e causaram todo esse rebuliço. A mãe, digamos, relapsa, foi solta após pagar uma fiança de R$ 380, arbitrada pelo delegado, provavelmente. Agora só falta levar a criança pra vacinar contra a febre-amarela e esquecer que ela foi vacinada…

Anúncios




A febre amarela e a corrida pelas vacinas

24 01 2008

A correria pra conseguir uma dose de vacina contra a difamada febre amarela parece não ter cessado, as filas continuam enormes em vários estados, tais quais os do Mato Grosso do Sul e Goiás. Já foi dito que essa tal vicina vicia, isso porque tem gente morrendo de “overdose” de tantas picadas que levou. Imagina, o sujeito suando em bica, chega num posto de saúde. Lá encontra uma enfermeira mal encarada com uma AK-47 nas mãos que lhe pergunta: “Qual foi preyboy?”. Ele mostra o dinheiro todo amassado, ela entende o recado e entra numa pequena sala. Dois minutos depois volta com 3 pequenas ampolas e entrega ao sujeito, displicentemente. O tráfico de vacinas aumenta consideravelmente e resulta na criação de outro poder paralelo: o EVA (Enfermeiras, vacinas e amor). Elas se organizam, assumem o controle total do Ministério da Saúde e exigem a volta da CPMF direcionada à saúde. Pra finalizar, no fim das contas quem se ferra é sempre eu, você e todo mundo canta junto!