Salvador Dalí

20 02 2008

Salvador Dalí foi um cara bacana, muito engenhoso e espertalhão, um dos acadêmicos mais brilhantes que já tive a oportunidade de ver as obras (numa revista, é claro). Não vou escrever uma biografia dele, isso já fizeram (“Dalí, a Obra e o Homem” de Robert Descharnes) só vou apontar alguns fatos e algumas obras de maior relevância no movimento surrealista da época. Eu ainda não encontrei os quadros acadêmicos para colocar aqui, mas se você tiver a oportunidade, não perca, são pinturas que beiram a perfeição. E aí mora o problema de Dalí, ele se intitulava a própria manifestação do surrealismo na Terra, dizia (tal qual o Rei Sol): “O surrealismo sou eu”. Dalí foi, salvo engano, o único surrealista que se propagandeava, ou seja, fazia um rebuliço para ser reconhecido. Bom, ele conseguiu, por isso até hoje é um dos poucos surrealistas conhecidos pela maioria das pessoas. Suas aparições em programas de TV norte-americano lhe renderam a imagem de surrealista mór, não porque o era (e, convenha comigo, a vanguarda surrealista jamais imporia hierarquismos às obras) mas pelo seu insistente jogo de cintura em se auto-promover. Pra você ter uma idéia, aquele perfume em forma de boca foi invenção dele e, se não me engano, a essência também foi escolha dele.

A vanguarda surrealista não era muito fã de Dalí, mas tinham que admitir sua genialidade. Entretanto, a estética proposta em seus quadros, segundo a vanguarda, fugia do que consideravam surrealismo, e, como essa vanguarda mal ganhava pra se sustentar, acho meio suspeita a opinião em vista do grande sucesso do “companheiro”. Bom, eu não vou “explicar” os quadros surrealistas, principalmente os Dalís, a interpretação de pinturas é deveras racional demais ao meu ver e isso atrapalha aquilo que cada um procura no que vê, portanto indico alguns mais interessantes: Persistência da Memória, Faces da Guerra, O grande masturbador e A girafa em chamas. Reparem nas formigas, elas quase sempre aparecem nos quadros dele…

Agora um final interessante, uma histórinha. Bom, antes um breve aparte histórico. Dalí foi casado e, apesar das inúmeras traições de ambos, sempre foi casado, sua esposa chamava-se Helena Diakonova, mas era conhecida como Gala. É sabido que ambos tinham um coelho, e para onde iam, levavam o tal coelho. Certa feita, de mudança para um apartamento, não conseguiam resolver o que fazer com o coelho, pois não poderiam deixá-lo num apartamento em meio a tintas e tudo mais. Então, Gala, numa brilhante dedução, tomou uma decisão, fez um ensopado com o coelho mas não contou nada a seu marido. Após o jantar, Dalí sentindo a falta do bichinho perguntou: “Cadê o coelho?”. Gala respondeu: “Está com você!”. Realmente estava, nas entranhas e agora conseguiriam levar o coitado aonde quer que fossem!

Quem quiser saber mais, o site da Fundação Gala-Salvador Dalí tem bem mais informações além de ser específico em Dalí.


Ações

Information

9 responses

21 02 2008
João Barreto

interessantíssimo! apesar de obviamente saber quem é Salvador Dalí, pouco sei de fato sobre ele e sua obra… bom post, bacana mesmo 🙂

21 02 2008
B.Cardoso

Sempre gostei da Girafa em Chamas justamente por ela estar pegando fogo ali no cantinho, sem chamar muita atenção.

E apesar do ego gigantesco, Dali até que fazia jus a ele.

22 02 2008
Max Ernest « Surrealismo do acaso

[…] Pode-se dizer que Ernest foi um dos primeiros pintores surrealistas propriamente dito. Como fiz com Dalí, não vou escrever uma biografia, isso também já foi feito (o autor é Ulrich Bischoff e o livro, […]

17 03 2008
Magritte « Surrealismo do acaso

[…] mais impressionantes que o planeta Terra teve o prazer de dar moradia. Novamente, tal qual fiz como Dalí e Ernst não farei um biografia, já o fizeram (salvo engando, Marcel Paquet no livro René […]

2 09 2008
lailinha

puxa e tao bacana essa imagem eu dadorei!!!1 queria uma so pra colocar no meu quarto!!!!! mas as minha amigas me perguntam como eu vou dormir com essa imagem?!!!!eu digo pra elas que eu vou dormir pensando no altor desa obra !!!!! que e o dali mais pensando bem eu tambem fasso obras que nem as deles mais eu estou ainda estudando !!!!! para me formar em artes mais eu tenho algumas obras para vender na minha casa e que sao mutos bacanas!!!!! bjs dali!!!! adorei as suas obras!!!

8 09 2008
Magritte : Surrealismo do Acaso

[…] mais impressionantes que o planeta Terra teve o prazer de dar moradia. Novamente, tal qual fiz como Dalí, Ernst e Miró não farei um biografia, já o fizeram (salvo engando, Marcel Paquet no livro René […]

4 05 2009
Yves Tanguy « Surrealismo do acaso

[…] único, em seu Dia de Lentidão nada se assemelha a Magritte mas lembra alguns traços de Dalí, na Multiplicação dos Arcos não ultrapassa o imaginário de Miró mas assemelha-se à […]

21 06 2011
Pietra

Cala a boca, Lailinha.
Há dois anos você postou um absurdo desses, estou curiosa pra saber como anda seu curso de artes e se já descobriu quem é Dalí.

21 06 2011
Mi

Idem.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: