Chuva e Noite

14 01 2008

Desesperadamente pedi socorro
Do meu jeito
Tu me destes um prato frio de ironia
E os modos de uma serpente em agonia

Pelos meus caminhos
Implorei teu amparo
Tu, sutil como uma baleia azul
Esmagou meus restos de orgulho como uvas e vinho (vinagre)

Me arrastei por um abraço teu
Da minha maneira, direito do meu eu (lírico?)
E o que consegui não se compara
Às machadadas cruas de uma revolução de rua

Me conformei e continuei a ler
Eram agora gírias novas de uma película em moda
Dispotas a me desconstituir de uma maneira
Que ainda não entendo…


Ações

Information

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: